ROA: entenda como pode ser aplicado em sua empresa

A mensuração do sucesso de um empreendimento é, geralmente, feita com métricas específicas. O ROA (Retorno sobre Ativos) é uma dessas métricas.

O conceito é amplamente usado por administradores de empresas, bem como por investidores. No primeiro caso o objetivo é calcular a eficiência das estratégias; no segundo, o retorno que o investimento em ações pode gerar.

Por esse motivo, o ROA é um dos pontos que merecem atenção ao analisar a saúde financeira de um empreendimento.

Afinal, não basta contar apenas com os lucros nessa hora. A lucratividade envolve ainda outros aspectos.

Continue lendo para descobrir o que é o ROA, como fazer o cálculo dele, quais são os objetivos e as vantagens de aplicar esse conceito. 

O que é ROA

A sigla “ROA” significa Return Over Assets. Traduzindo para o português, Retorno sobre Ativos.

Basicamente, o cálculo ajuda uma empresa de alpinismo industrial RJ a saber exatamente o quanto ela é rentável quando comparada ao total de ativos que possui.

Nesse contexto, os “ativos” correspondem a qualquer capital que foi aplicado em mercadorias, contratos e infraestrutura.

Ou seja, os ativos são as áreas de investimento a partir das quais a empresa espera conseguir lucro no futuro. Eles são diferentes do patrimônio líquido, que é o dinheiro que a empresa tem à disposição para usar.

Para essa diferença ficar mais clara, confira exemplos de ativos:

  • Estoques de produtos e insumos;
  • Maquinário;
  • Imóveis;
  • Contratos.

Então, o ROA serve como uma prévia da capacidade de retorno que o fabricante de Peças para elevadores thyssenkrupp tem de gerar aos seus acionistas.

Além disso, o acompanhamento contínuo do retorno sobre os ativos permite saber exatamente quais são os ganhos registrados em um determinado período. Assim, a capacidade de geração de valor do negócio fica clara e pode ser mais facilmente adequada.

Como se calcula o ROA

Para fazer o cálculo do Retorno sobre Ativos, em primeiro lugar, é necessário ter à mão dois dados essenciais: o lucro líquido e o ativo total da empresa.

O lucro líquido é o valor obtido quando se subtrai os custos operacionais do Inspeção de caldeiras e vasos de pressão do lucro bruto registrado em certo período.

Os custos operacionais incluem despesas com tributação, recursos humanos e insumos.

Em seguida, é hora de contabilizar o valor médio do ativo total que a empresa usou no período observado. Ou seja, o dinheiro em caixa (ativo circulante) e o valor total de equipamentos, imóveis e contratos (ativo imobilizado).

Tendo esses dois dados, você pode calcular o ROA dividindo o lucro líquido pelo ativo total, multiplicando o resultado por 100.

Essa fórmula vale tanto para investidores quanto para gestores. A partir dela, é possível quantificar a lucratividade do serviço de Locação de chiller com facilidade, por exemplo.

Por quê calcular o ROA? 

A aplicação desse conceito precisa se basear em objetivos pré-estabelecidos, e é crucial para verificar o desenvolvimento dos ativos/negócios. Nos tópicos abaixo vamos trazer exemplos sobre isso.

Em linhas gerais, o ROA oferece panoramas claros aos investidores e gestores quanto ao futuro de uma empresa.

Assim, os motivos para calculá-lo giram em torno dessa ideia e do contínuo aprimoramento de carteiro ou do empreendimento. Confira mais detalhes e importância desse processo nos próximos passos.

1. Acompanhar o aumento e a queda de lucros

Empreender é também uma questão de se adaptar. Sempre vão existir altas e baixas temporadas. O negócio duradouro é aquele que sabe se manter nas duas realidades.

O uso do ROA é conveniente para monitorar a elevação e a baixa dos lucros. A métrica possibilita que os gestores percebam as variações previamente.

Assim, eles podem atuar para minimizar prejuízos e despesas, cortando gastos e otimizando os recursos da maneira mais adequada.

2. Avaliar a eficácia dos ativos

Suponha que um escritório de consultoria jurídica acabou de ser realocado para um novo endereço.

Os gerentes do escritório decidiram comprar novos aparelhos em uma Empresa ar condicionado brasilia para marcar a mudança. O cálculo do ROA pode ser um elemento central dessa decisão.

Afinal, é preciso averiguar se os aparelhos de ar condicionado que a empresa usava até o momento realmente estão precisando ser revistos ou até mesmo trocados.

Esse é um exemplo da eficácia dos ativos. Se o desempenho dos aparelhos em questão não é o suficiente para fazer um contrato, é sinal de que a troca é realmente necessária, ou seja, vai gerar valor à empresa.

3. Comparar o lucro com os concorrentes

Ficar atento ao comportamento das empresas concorrentes é primordial. Essa é uma das práticas recomendadas para conseguir vantagem competitiva no segmento de atuação.

Com o ROA, o gestor tem meios para comparar o lucro da empresa com outro negócio do mesmo ramo.

É um tipo de termômetro de performance. Se a marca que disputa o mercado com você está investindo mais em ativos, é sinal de que o lucro dela aumentou.

Tendo essa noção, o empresário pode se planejar para ser capaz de seguir competindo.

4. Gerenciar capital de giro                 

O capital de giro é a diferença do dinheiro que a empresa possui em caixa e a soma das despesas e contas que ela precisa pagar.

É essencial calcular esse valor para saber com exatidão quais são os valores disponíveis para realizar novos investimentos.

Mesmo em cenários mais complicados, como queda nas vendas ou clientes devedores, o capital de giro serve para manter a empresa progredindo.

Podemos inserir o ROA nesse contexto falando da possibilidade de adquirir novos ativos.

Quando a empresa trabalha com uma estimativa da quantia que pode ser gasta, é possível gerenciar o capital de giro de modo que a aquisição de maquinário não prejudique as contas.

Quais são as vantagens do ROA?

A manutenção da saúde financeira de um negócio exige conhecer métricas como o Retorno sobre Ativos.

A qualidade das estratégias de investimento depende desse e de outros cálculos para realmente dar resultado.

Conheça as principais vantagens da aplicação do ROA nos tópicos abaixo e entenda a importância de contar com ele.

1. Planejamento financeiro

Vamos imaginar que uma dupla de empreendedores investiu um certo valor em maquinário para montagem de placas eletrônicas.

Uma compra desse porte demanda recursos e planejamento. Não é recomendável gastar uma grande quantia sem ter noção do retorno possível e do valor disponível.

Nesse contexto, o cálculo do ROA vai trazer certeza e segurança para os empreendedores.

O valor obtido a partir da conta vai servir para que eles “calibrem” as expectativas e trabalhem com a mente no lucro que é necessário para a empresa dar certo.

2. Potencial da empresa

Seguindo a linha do tópico anterior, o ROA fornece uma boa noção do potencial de rentabilidade que o negócio pode alcançar.

Essa informação pode ser o elemento que falta para o gestor tomar uma decisão, como investir em um imóvel próprio ou pedir empréstimo INSS simulação.

Em um mercado volátil como o de hoje, insights desse tipo valem muito, sendo uma vantagem competitiva e altamente estratégica.

Deste modo, o empreendimento deve ser tocado com foco nesse potencial, sempre otimizando os custos e despesas para manter a balança equilibrada.

3. Resultado dos investimentos

À medida que a empresa vai crescendo, os recursos e os ativos aumentam e mais acionistas começam a chegar.

Toda empresa nessa condição deve ficar de olho no ROA para ter a possibilidade de aumentar o retorno proporcionado aos acionistas.

Em linhas gerais, isso pode ser feito monitorando o resultado de cada investimento. Não só com o ROA, mas também com o ROI (Retorno sobre Investimento) e o ROE (Retorno sobre Patrimônio).

O ROI é usado para calcular a rentabilidade de estratégias pontuais, como campanhas de anúncios virtuais para Construtora casas alto padrão.

O ROE é um indicador percentual que aponta a capacidade que uma marca tem de agregar valor a si mesma a partir de recursos próprios.

Considerações finais

Agora você tem à sua disposição um material completo sobre o Retorno sobre Ativos, métrica essencial para o gerenciamento de negócios e investimentos.

O uso sistemático deste conceito possibilita ter acesso a estatísticas importantes a respeito da atuação empresarial, como o lucro líquido, o lucro bruto e as despesas ligadas ao setor operacional.

O sucesso de um negócio depende da aplicação adequada desses dados nas decisões estratégicas.

Por isso, tenha dados que sirvam de base para todo e qualquer investimento que você fizer. Afinal, é preciso sempre ter noção do valor que pode ser gerado, antes de fazer o investimento realmente.

Essa é uma maneira eficaz de otimizar custos, despesas e orçamentos. Mesmo quando a marca se encontra em um período de baixa.

Por isso, agora que você já sabe como fazer o cálculo do ROA, em quais áreas ele tem impacto e os benefícios que ele proporciona, use essas informações para alcançar um novo patamar em termos de produtividade e lucro.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Gostou do conteúdo? Então compartilhe ele em suas redes sociais. Se você precisa iniciar um site, blog ou comércio eletrônico, solicite orçamento enviando uma mensagem ou ligue (51) 99537-9296 ( VIVO / Whatsapp ). Siga Gauchaweb no Facebook ou e Gauchaweb no Instagram.

Deixe um comentário

Open chat
Precisa de um site?
Gauchaweb
Olá!
Precisa de um site, blog ou loja virtual?
Fale comigo agora...