Como usar o big data em uma incorporadora?

como usar big data em incorporadora

Veja como o setor imobiliário pode tirar proveito da influência do big data

Desenhar o projeto de um empreendimento lucrativo requer levar em consideração uma série de fatores. Para aumentar as chances de sucesso, a análise de dados está cada vez mais estratégica, com o uso do big data nas incorporadoras.

Ao investir na construção de um apartamento na Auxiliadora, por exemplo, um dos principais desafios está na hora de definir quem é o público do imóvel, qual é a melhor região da cidade, qual o número de apartamentos, quantos dormitórios, entre outros.  

Mais do que viabilizar a obra, o uso correto das informações orienta os investidores na tomada de decisão levando em consideração a finalidade do imóvel, ou seja, priorizando as necessidades das pessoas que irão usufruir daquele espaço.

Frente a este cenário, o Big Data aparece como uma ferramenta que tem o poder de transformar o setor imobiliário. Isso porque até o presente momento apenas 0,5% dos dados desse mercado foram processados e estão sendo utilizados para gerar negócios.

O uso de sistemas com a tecnologia big data pelas incorporadoraspermite processar um grande volume de dados complexos. A partir do cruzamento de fontes são geradas métricas em tempo real, que fornecem informações valiosas sobre o mercado.

Com dados inéditos sobre terrenos, imóveis e operações de compra e venda, as incorporadoras podem direcionar seus investimentos para áreas com potencial de valorização e possível intenção de compra.

Agora, os profissionais têm acesso a informações centralizadas em um só lugar para identificar tendências, gerar insights e ainda realizar análise de mercado, de forma inteligente.

Diminuindo as porcentagens de erro, é possível transmitir mais confiança ao cliente no momento da compra, adquirindo então vantagem competitiva perante a concorrência.       

Por que as incorporadoras devem investir no big data?

A partir do big data é possível obter soluções para diferentes etapas do setor imobiliário, do desenho do projeto até o apartamento à venda. O segredo, em ambos os casos, está na utilização das informações obtidas a favor do negócio. 

Na análise de mercado, o investidor tem acesso ao histórico de transações já realizadas anteriormente e com isso consegue prever possíveis tendências de consumo, identificando riscos e avaliando oportunidades.

Já no marketing, o analista consegue a partir dos dados identificar padrões de comportamento dos clientes, antecipando dores para criar mensagens que ofereçam soluções favorecendo a realização de negócios. Tudo isso através de jornada de compra estratégica, com experiência personalizada e precificação assertiva.

Nas avaliações de imóveis e terrenos, o big data também pode ser utilizado pelos profissionais para realizar a precificação da área. Indo além das características tangíveis, o cálculo também leva em conta os estudos dos dados do mercado e o potencial de valorização do espaço.

E por fim, na tomada de decisões, é possível fazer escolhas mais assertivas com os resultados obtidos pela análise dos dados. Ao invés de basear as escolhas em achismos, o uso de informações diminui as chances de erro e aumenta a margem de lucro das operações.

Quais as vantagens do big data para as incorporadoras?

A rotina das incorporadoras é repleta de atividades que requerem informações para serem executadas como estudos de viabilidade, coordenação de projetos, aprovação de alvarás e licenças, até a comercialização da unidade.

Seja qual for a opção, através de um sistema com big data é possível centralizar todos os dados obtidos em cada uma das atividades, além de gerar cruzamentos entre as fontes, para obter análises que permitam uma tomada de decisão mais assertiva.

Além disso, podemos citar como vantagem de uso do big data nas incorporadoras a redução dos custos de execução dos projetos. Com os dados em mãos, é possível identificar onde estão sendo concentrados os investimentos e eliminar possíveis desperdícios no orçamento.

Também é possível adotar o uso de uma dashboard em tempo real para a empresa. Os dados mais importantes são apresentados em relatórios que permitem a análise de forma fácil e prática, seja por investidores ou analistas.

Com o sistema personalizado para a incorporadora, a dashboard oferece uma visão detalhada do negócio, com informações a respeito de compras, vendas  e projetos em andamento.

Essa visualização também pode ser integrada a ferramentas de CRM, permitindo a integração dos mais variados setores, além da emissão de relatórios personalizados conforme a necessidade do projeto ou atividade a ser desenvolvida.  

Como implementar na incorporadora o uso do big data? 

A solução big data nada mais é do que uma tecnologia de processamento de grandes volumes de dados. Por isso, para usufruir de seus benefícios é necessário o uso de ferramentas capazes de processar essa tecnologia.

Felizmente no mercado existem alguns sistemas que são compatíveis com big data e estão integradas com uma base de fontes para o cruzamento e análise das informações.

O CRM, sistema de gestão do relacionamento com o cliente, é a plataforma em que ficam armazenadas as principais informações sobre os clientes da incorporadora.

A partir dos registros de interação com a empresa e a etapa na jornada de compra,é possível personalizar o atendimento do cliente, com as melhores ofertas do portfólio da empresa.

Em conjunto com o CRM, é possível usar o big data na integração com o ERP, sistema de gestão que controla de forma centralizada, todos os setores da empresa.

As redes sociais também são um tipo de sistema capaz de oferecer uma grande quantidade de informações que podem vir a ser processadas pelo big data, gerando insights para a incorporadora.

Além da análise de mercado, essa é uma excelente alternativa para conhecer de forma ainda melhor o público, para ofertar uma entrega de conteúdos e até mesmo anúncios personalizados com o seu interesse.

O site da incorporadora também é outro canal valioso da empresa que pode ser preparado para coletar informações que sejam relevantes para o negócio.

Com o Google Analytics, um analista consegue mapear quais as principais preferências dos visitantes, incluindo palavras pesquisadas, páginas mais acessadas, imóveis mais visualizados, além de mensurar o tempo da visita.

Quando combinado com informações coletadas nas redes sociais, por exemplo, é possível traçar uma estratégia integrada para a exibição dos anúncios de imóveis que levem à realização de novos negócios.

Considerações finais

Gostou do nosso conteúdo sobre o uso do big data em incorporadoras? Então compartilhe ele em suas redes sociais. Se você precisa iniciar um site, blog ou comércio eletrônico, solicite orçamento enviando uma mensagem ou ligue (51) 99537-9296 ( VIVO / Whatsapp ). Siga Gauchaweb no Facebook ou e Gauchaweb no Instagram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *